O copo de vidro e o polvo

Alguém já tentou colar um cálice de vidro ou cristal depois que se quebra? Não dá…a gente bota fora mesmo. Não tem como remendar aquilo. Pois é, eu estava pensando sobre algumas coisas na vida que depois que se “quebram” não tem como ajeitar. Outras até dá, fica uma marca perceptível mas…
Geralmente são coisas das quais não queremos nos desfazer, não queremos perder. Mas quebrou…e agora?
Você usaria um cálice de cristal colado? Ofereceria para uma visita? Claro que não. A gente lamenta, fica triste, brava por ter deixado cair (ou por outro ter sido descuidado) e põe fora.
Mas na vida alguns fracassos são guardados com tanto cuidado como se eles pudessem ser recuperados de alguma forma. As pessoas insistem em repetir o erro, em manter a coisa do jeito que está pq não querem perder.
Eu acho que tem coisas e coisas. Algumas podemos manter sim. Preservar e usar “colado” mesmo, ok… se vê a marca mas vale a pena guardar. Mas tem outras que não têm jeito. Se mantivermos aquilo conosco será somente para sofrimento, para lembrar do que não deu certo. Tipo aquelas mães que perdem os filho e nunca desarrumam o quarto. Isso é quase tortura.
Não estou aqui querendo afirmar que pessoas e experiências são descartáveis. Não é isso. Mas tem momentos que a melhor solução é “virar a página”, seguir em frente por outra via. É difícil? Sim, muito. Porque a nova via não é conhecida por nós, é um caminho novo e tudo o que é novo assusta um pouco. Muita gente prefere ficar onde está só pelo fato de já conhecer essa situação. Mudar nunca é fácil mas não mudar nunca é ser refém de si mesmo.
Mas tb tem aquelas coisas das quais queremos nos desfazer mas não dá.

Você já se sentiu como se houvesse um polvo, com mil tentáculos a te segurar? Toda vez que vc consegue se livrar de um surge outro? Pode ser uma pessoa, uma experiência ruim, uma instituição, uma ideologia… Coisas que grudam em nós e não querem largar. Há momentos na vida que se parecem com essa cena. Alguns desistem de tentar se soltar…e acabam morrendo ali.
As vezes nós mesmos somos o copo de alguém…ou o polvo.
Podemos viver sem copos de estimação quebrados e polvos grudentos?
Com certeza. Mas é preciso coragem e perseverança. Alguns poderão dizer: mas que bobagem, isso é bem fácil!
Não é não, gente. Perder é difícil e enfrentar novas coisas tb.
É tudo uma questão de escolha, que pode ser a certa ou a errada. Querer adivinhar o que vai acontecer lá na frente antes de escolher é besteira, não tem como.
Que cada um de nós possa fazer a escolha certa. E se errar ter coragem de admitir e seguir em frente.
Como disse um professor de Direito: “os insucessos fazem parte da vida, devemos aprender com eles”.
Abraços.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s